Bora de Ruma?! Mulheres Negras do Ceará apostam em candidatura coletiva para ocupar o Parlamento Nacional

A candidatura de Cristina Costa, Lany Maria e Lídia Rodrigues foi construída a partir do diálogo com o Movimento de Mulheres Negras do Ceará

Direto do Ceará, para fazer enfrentamento ao cenário político no qual as mulheres negras ainda são sub-representadas, a candidatura coletiva a Deputadas Federais Bora de Ruma (PSol – 5044) reúne Cristina Costa, Lany Maria e Lídia Rodrigues, três mulheres negras com trajetórias políticas centradas no antirracismo, na luta pelos direitos das mulheres negras, em defesa da educação e pelo Bem Viver.

“É importante localizar que somos uma candidatura de mulheres negras, de periferias, LGBTQIA+, interioranas e que esses corpos historicamente tiveram e têm a sua participação política secundarizada ou negligenciada”, explica Lany Maria.

A candidatura coletiva, bem como a definição das candidatas, foi constituída a partir de uma série de diálogos que vêm sendo feitos desde 2020 – após a eleição da primeira mandata coletiva para a Câmara Municipal de Fortaleza – refletindo e avaliando o cenário político junto às organizações de mulheres negras do Ceará, como o Instituto Negra do Ceará (INEGRA) e a Rede de Mulheres Negras do Ceará.

“A constituição das co-candidatas  se deu a partir de diversos diálogos com mulheres com culturas políticas assemelhadas, porém com pautas  e trajetórias diversas”, explica Lídia Rodrigues.

O conteúdo programático da candidatura é baseado nos principais documentos do Movimento de Mulheres Negras e o projeto político está organizado em torno de quatro questões centrais: Combate à fome e promoção de condições de vida digna, Enfrentamento às violências, Participação popular e comunitária e Defesa Socioambiental.

Para as candidatas, os principais desafios para realizar uma campanha política protagonizada por mulheres negras se dão pela violência política racial e de gênero enfrentada diariamente e pela falta de recursos financeiros, já que a candidatura não está colocada como prioritária dentro do partido.

“A dificuldade financeira é um impedimento enorme para conseguir rodar uma campanha no Ceará todo, em um processo político tão desigual, onde alguns já começam com estrutura financeira, apadrinhamento político e mídia a seu favor”, afirma Cristina Costa.

Para ajudar a viabilizar as ações de campanha, a candidatura coletiva Bora de Ruma está realizando um financiamento coletivo, no qual apoiadores podem contribuir financeiramente. Para doar, clique aqui.

Acompanhe a Bora de Ruma através do site www.boraderuma.com e do Instagram @boraderuma2022.

Conheça as candidatas

Compartilhe essa notícia:

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.