Tem mulher preta e quilombola disputando vaga na Assembleia Legislativa de Goiás: Conheça Lucilene Kalunga

A candidata traz a defesa da terra e do território como uma das principais bandeiras de luta

Redação Odara

Mulher preta quilombola, mãe e turismóloga, Lucilene Kalunga (PSB – 40100) é candidata a Deputada Estadual pelo estado de Goiás. No nome, na luta e no fazer político, ela carrega seu lugar de origem, o Quilombo Kalunga, maior do país em extensão territorial, abrangendo os municípios de Cavalcante, Monte Alegre de Goiás e Teresina de Goiás. Há cerca de 20 anos, Lucilene se dedica à luta em defesa dos povos e comunidades tradicionais do nordeste de Goiás e integra também o Movimento Negro e Movimento de Mulheres Negras. 

A formação política de Lucilene passa ainda pela participação em vários programas, como o Politizar, da Universidade Federal de Goiás; Traços, da Fundação Tide Setubal – de apoio a lideranças negras; A Tenda – projeto social de capacitação para campanhas eleitorais; e do Estamos Prontas, organizado pelo Instituto Marielle Franco e o Mulheres Negras Decidem. A candidata destaca também sua participação no Goianas na Urna, escola de formação política voltada para mulheres em Goiás.

Com vasta experiência de atuação no meio político, já coordenou o Parlamento Jovem, programa promovido pela Câmara dos Deputados de Goiás para levar as discussões sobre política, cidadania, participação popular e democracia representativa aos estudantes do ensino médio. Também atuou como Secretária Municipal de Igualdade Racial no município de Cavalcante e foi Coordenadora da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal de Goiânia. Atualmente, Lucilene é Secretária Estadual de Mulheres e integra a Secretaria Nacional da Mulher do Partido Socialista Brasileiro (PSB).

Suas principais bandeiras de luta são em defesa das mães, mulheres, população negra, quilombola, indígena e povos ciganos. Lucilene também acredita que o direito à terra e território são fundamentais para se garantir justiça social e ambiental.

“Não existe futuro sem a permanência dos povos e comunidades tradicionais em seus territórios, pois são eles que mantêm o Cerrado de pé e com vida. Isso beneficia a qualidade de vida de todo mundo, com comida de verdade, principalmente a quem está na cidade”, explica.

A educação de qualidade, respeito à diversidade, ações de combate à intolerância religiosa e o fomento das políticas de acesso para pessoas com deficiência e necessidades especiais, também são pautas defendidas pela campanha  da candidata.

Clique aqui para acompanhar a campanha e saber mais sobre Lucilene Kalunga!

Compartilhe essa notícia:

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.