Vereadoras negras e trans estão entre as candidaturas mais votadas em 13 capitais

Candidatas foram eleitas neste domingo (15) em grandes cidades do país; confira quem são elas

Apesar do avanço em algumas regiões, nas outras 12 capitais nenhuma mulher negra ou trans está entre os dez mais votados para a vereança – Foto: Pablo Vergara

O primeiro turno das eleições municipais deste ano se encerrou anunciando um 2021 um pouco mais diverso e representativo nas casas legislativas.

Segundo levantamento feito pelo Brasil de Fato, treze mulheres negras e três mulheres transexuais estão entre as dez candidaturas mais votadas em grandes capitais do Brasil. Eleita para a Câmara Municipal de São Paulo, Erika Hilton é a única que aparece nas duas contagens por ser negra e mulher trans. 

Em relação a gênero e raça, na região sul do país, em Porto Alegre (RS) a agora vereadora Karen Santos (PSOL ) foi a mais votada da capital gaúcha com 15.702 votos. O mesmo aconteceu em Recife (PE), onde Dani Portela, da mesma sigla, angariou 14.114 votos, sendo a mais votada na cidade.

Porto Alegre elegeu ainda Laura Sito (PT), a décima vereadora com mais votos. Em Curitiba, Carol Dartora, também do PT, foi a terceira mais votada com 8.874 votos depositados nas urnas. 

Já em Vitória, no Espírito Santo, outras duas mulheres negras estão entre as 10 candidaturas mais votados na cidade: Camila Valadão (PSOL), na segunda posição com 5.625 votos e Karla Coser (PT), sétima colocada com 1.961 votos. 
 
No Rio de Janeiro, Tainá de Paula (PT) foi eleita com 24.881 votos e ocupa a nona posição entre as mais votadas na cidade carioca.

Em Cuiabá (MT), as mulheres negras serão representadas por Edna Sampaio (PT), a oitava candidata mais votada, com 2.902 votos. 

Aquela que pode ser considerada uma onda antirracista e feminista também chegou na região Norte do Brasil. Em Belém, no Pará, a candidata Vivi Reis foi a quinta candidatura mais votada. Ela recebeu 9.654 votos na cidade.

No Rio Grande do Norte, em Natal, a candidata Divaneide (PT) foi a segunda mais votada, sendo escolhida por 5.966 cidadãos. 

Na região Nordeste, em Maceió, (AL), a única mulher negra entre os dez vereadores mais votados foi Fátima Santiago (PP), que eleita com 5.577 votos, ocupa a nona posição. Já em Salvador, na Bahia, Ireuda Silva (Republicanos) foi a 4ª candidata mais votada, com 12.098 votos. 

Diversidade

Em uma eleição histórica para a população LGBTQI+, duas mulheres trans estão entre as candidatas mais votadas em suas cidades.

A Professora Duda Salabert (PDT) foi a vereadora mais votada em Belo Horizonte (MG) com 37.613 votos, e, em Aracaju (SE) Linda Brasil (PSOL) também ficou em primeiro lugar e foi a candidata mais votada com 5.773 votos. 

Já em São Paulo, Erika Hilton, mulher trans e negra, foi a 6º candidata mais votada, com 50.477 votos. Os homens trans também serão representados por Thammy Miranda na capital paulista, nono candidato com mais votos.

Por outro lado, nas outras 12 capitais (Rio Branco, Manaus, Fortaleza, Goiânia, São Luiz, Campo Grande, João Pessoa, Teresina, Porto Velho, Roraima, Florianópolis e Palmas) nenhuma mulher negra ou trans está entre as dez candidaturas mais votadas. 

Edição: Leandro Melito.

Fonte: https://www.brasildefato.com.br/2020/11/16/vereadoras-negras-e-trans-estao-entre-as-candidaturas-mais-votadas-em-13-capitais

Deixar uma resposta

três − um =