Encontro Internacional de Mulheres Negras reúne cerca de 150 ativistas da América Latina e Caribe em Costa do Sauípe

O encontro celebra os 30 anos da Red de Mujeres Afrolatinoamericanas, Afrocaribeñas y de la Diáspora

Durante os dias 18 e 20 de novembro, acontece o encontro de 30 anos da  Red de Mujeres Afrolatinoamericanas, Afrocaribeñas y de la Diáspora. O evento reunirá mais de 150 ativistas negras, de dezenas de países que compõem a Red, na Costa do Sauípe, município de Mata de São João (BA).

O encontro é realizado com o objetivo de refletir e fortalecer a trajetória organizacional e política da Red, além de estabelecer estratégias para ampliar a incidência de mulheres negras e afrodescendentes durante os próximos 10 anos.

A Red de Mujeres Afrolatinoamericanas, Afrocaribeñas y de la Diáspora é um espaço de articulação e empoderamento de mulheres afro-latino-americanas, afro-caribenhas e da diáspora, para a construção e reconhecimento de sociedades democráticas, equitativas, justas, multiculturais, livres de racismo, discriminação racial, sexismo e exclusão, e promoção da interculturalidade. 

A organização nasceu durante o Primeiro Encontro de Mulheres Negras Latino-Americanas e Caribenhas realizado na República Dominicana em 1992. No mesmo encontro, o 25 de Julho foi instituído como o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha.

Desde 2018 o Brasil passou a ser considerado uma sub-região da Red de Mujeres Afrolatinoamericanas, Afrocaribeñas y de la Diáspora, saindo da região Cone Sul, e passando a ter sua própria coordenação sub-regional, ocupada por Valdecir Nascimento, ativista que compõe a coordenação da Articulação de Organizações de Mulheres Negras Brasileiras (AMNB) e também esteve presente em 1992, na criação da Red e instituição do 25 de Julho.

Compartilhe essa notícia:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *